Pensando em mim

"É difícil caminhar, quando o ar se torna pesado e o respiro frio em lâminas de gelo.
 O pensamento adormece e congela no tempo"

Eu estava lá, como sempre, olhando para lua, ela estava bonita, muito mais do que o próprio céu. Fiquei horas observando o seu deslize pelo horizonte, pouco a pouco a noite me deixava assim como a lua que permanecia com seu tão suave brilho.

Gostaria de entender o sentimento mais puro que alimenta minha existência, assim como os pensamentos que insiste em me atormentar. Já fiz de alguns momentos glórias e derrotas, mas não entendo o motivo deles, tão pouco de estar aqui, olhando para Lua.

Embora muitos me julguem incapaz de compreender as razões divinas das quais tanto veneramos e pouco questionamos, sei que para cada pergunta criada nos nossos pensamentos, ainda que pouco percebemos existem respostas, e elas se encaixam como em um quebra cabeça. E assim sendo, olho para os feitos do passado, e a cada passo lento e frio, mas certeiro, crio meu futuro, tão diferente e tão previsível para os que observam, que as vezes não percebem as lacunas da minha construção, pois estão nos alicerces, abaixo dos tijolos e pilares. Eu as substitui, pois achava danificadas com o tempo e não havendo outro meio de concertá-las abandonei por algum tempo, talvez tempo demais.

Agora estou só, observando uma ordem tão previsível, pois é frequente, como se a todo instante desejasse nos dizer algo além de sua beleza. Mas ainda não vejo as respostas que manterá firme minha construção, pois ela já está muito frágil, e devido a sua pouca resistência, tão poucos tijolos são colocados. E assim, só agora o que era previsível torna-se tão diferente que poucos se arriscam falar qual o caminho que um estranho e solitário está e para onde o levará.

Anúncios

Vazio

    O que diria uma pessoa, que inesperadamente encontra este rapaz, meio desajeitado, incrivelmente distraído, mas acidentalmente normal? Sim acidentalmente pois ele poderia ser chamado de um superdotado, uma pessoa incapaz de incomodar-se com detalhes menos importantes da vida, poderia até ser considerado a uma pessoa de alma pura. Infelizmente o conceito de alma não fazia sentido para ele, tão pouco um superdotado, ele acredita que todos somos inteligentes, só basta estimularmos. Talvez esteja certo, mas afinal o que uma pessoa diria a seu respeito?

      Talvez todos os inteligentes sejam tímidos, ou quem sabe é apenas a sua personalidade, pois independente do que ele era ele guardava seus traços esquisitos. Ele era diferente, mas parecia tão normal, suas esquisitices eram toleradas por todos, menos por ele próprio, independente do que as pessoas pensavam, ele sabia que era anormal, por dentro. Quem poderia pensar que a aparente normalidade era forçada, construída detalhe por detalhe? Quem poderia ver além do que ele aparentava?

        Era difícil saber, pois já se esforçava a tanto tempo para parecer normal que sabia enganar muito bem, não era o mestre dos disfarces pois as vezes deixava escapar suas esquisitices. Embora não tenha nunca encontrado alguém, ele gostaria de poder um dia olhar para uma pessoa sem usar as habilidades da comunicação para enganá-la, simplesmente ser o que ele realmente é. Embora fosse sincero com as palavras, ele não podia ser sincero com as suas atitudes, sua sinceridade espantava as pessoas e ele ficava sozinho. Ele gostava da solidão mas as vezes ela doía. Ele sabia que tinha um vazio, uma dor estranha que ele não sabia explicar.