Sobre o suicídio

Um fenômeno que está se tornando mais comum e que pouca gente realmente entende. O que é o suicídio?
Vamos imaginar duas pessoas, uma delas usando fones de ouvido com um amplificador de som, tudo que ela ouvir será numa intensidade maior, e outra apenas com suas orelhas. Bom se gritarmos a uma distância de três passos das duas, provavelmente a que está sem fones ouvirá normalmente e não se sentirá tão incomodada, porém a que possui o fone ouvirá em uma intensidade muito elevada e ele provavelmente não resistirá. É claro que nesta situação a pessoa pode simplesmente largar o fone de ouvido, mas imagine que se trata de algo conectado ao cérebro, não é uma dor física, como amputar um braço ou algo semelhante pois nosso sistema pode se desligar a uma intensidade alta da dor, um tipo de dor mais intensa e preocupante, as emoções. Imagine que uma pessoa consegue sentir as emoções com mais intensidade, tanto a felicidade ou a tristeza tem uma intensidadade elevada.
Entramos num ponto interessante, pensamos que todos os cérebros funcionam da mesma forma, mas não é bem assim, aos menos no campo das emoções. Uma pessoa pode viver a vida inteira com problemas realmente preocupantes e nunca pensar em suicídio, outra pode se suicidar simplesmente por perder o emprego, cada pessoa apossui ferramentas para lidar com isto, é claro que algumas não desenvolveram e é ai que entra as terapias.
O suicídio ocorre de forma lenta, é um conjunto de emoções que se intensificam com o tempo, isto não significa que jovens não o pratiquem mas que é preciso estar num limite muito grande. De uma certa forma isto está relacionado a forma como nosso cérebro trabalha e na maioria dos casos podemos readaptar ele ao mundo, isto funciona na maioria das vezes mas nem sempre é possível, existem casos que a dor é tanta que não é possível modificar e em outros casos não é possível mudar pois o cérebro não consegue e ai se trata de uma deficiência mental. Quando a emoções chegam ao estágio final, a dor é muito maior do que o medo ou a própria dor física da morte, nesta caso talvez não haja muito o que fazer.
Mas como podemos ajudar? Não tente absolver a dor, você não vai conseguir. As pessoas gostam de chamar as outras que praticaram o suicídio de fracas, o que é um erro tremendo, elas são instintivamente mais forte que a maioria das pessoas. Então não diga que ela pode melhorar simplesmente fingindo um sorriso, pois muito provável que a maioria dos casos de suicídio seja devido a esta máscara que eles principalmente são obrigados a colocar diante a sociedade, forçar um riso é aumentar a intensidade da dor. Um pessoa prestes a cometer suicídio talvez não demostre isto pelo motivo que já disse, e é por isto que elas precisam de amigos de verdade que consigam perceber o nível de tristeza, já que este tipo de tristeza só é dito a um amigo íntimo. Mas ainda isto não é a resposta para ajudar, imaginamos um pessoa que não pode mudar, alguém que possui deficiência mental, aqui o problema é ainda maior, pois nem as terapias poderão ajudar, a perspectiva é diferente e isto implica que os problemas de suicídio não estão ligados somente aos problemas da pessoa que irá praticar e sim da própria sociedade, todas estas formas de se viver nos conduzem a este fenômeno, na verdade o suicídio foi um dos primeiros estudos feitos pelos sociólogos. Não se trata então de mente fraca mas de uma sociedade falsa, se as pessoas pudessem choram sem medo muitas pessoas poderiam ajudar, chorar é uma forma de pedir ajuda, por isso as pessoas só pedem a amigos íntimos, elas tem vergonha da sociedade, sem falar que as pessoas se aproveitam para machucar ainda mais. Para ajudar um pessoa que está trilhando este caminho apenas mude você mesmo e tente entender o mundo como ele entende. Mude sua perspectiva, e você mudará o mundo. O problema é que poucas pessoas se importam umas com as outras e talvez ninguém queira mudar por você, nem mesmo seus pais.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s