Comportamento

Richard G. Wilkinson

Genes não são apenas coisas que fazem nos comportarmos de maneira específica independentemente do ambiente. Os genes nos proporcionam formas diferentes de reagir ao ambiente. E, na realidade, parece que algumas das primeiras influências na infância e o modo de criar os filhos afetam a expressão genética, ligando e desligando diferentes genes, para mudar nossa linha de desenvolvimento para uma que seja compatível com o tipo de mundo em que vivemos.

Dr. Gabor Mate

Por exemplo: Um estudo realizado em Montreal com vítimas de suicídio verificou as autopsias dos cérebros dessas pessoas e constatou-se que, se uma vítima de suicídio – geralmente adultos jovens…  Tivesse sofrido abuso quando criança, esse abuso teria provocado uma mudança genética no cérebro  inexistente nos cérebros de pessoas que não sofreram abusos.  Isso é um efeito epigenético. “Epi” significa no “topo de”, portanto, influência epigenética é o que acontece no ambiente e que ativa ou desativa certos genes.

Dr. James Gilligan

Na Nova Zelândia, realizou-se um estudo numa cidade chamada Dunedin  envolvendo alguns milhares de indivíduos, do nascimento aos 20 anos de idade.  Eles descobriram que conseguiam identificar uma mutação genética, um gene anormal que tinha alguma relação com a predisposição á violência, mas somente se o indivíduo também tivesse sido severamente abusado na infância.

Dr. Robert Sapolsky

Em outras palavras, uma criança com este gene anormal não está mais propensa que as outras a ser violenta e, na realidade, elas tinham um índice de violência menor que o de pessoas com genes normais,  contanto que não fossem abusadas na infância. Mais um grande exemplo das formas em que os genes não são uma coisa definitiva: Uma técnica curiosa, na qual você pode retirar um gene específico de um camundongo, de modo que ele e seus descendentes não tenham mais esse gene. Você “extinguiu” aquele gene. Existe um gene responsável pela codificação de uma proteína relacionada á aprendizagem e á memória e, com esta incrível demonstração, você “extingue” o gene e o seu camundongo já não conseguirá mais aprender. “Oh! Uma base genética para a inteligência!”. O que foi ainda mais desprezado neste memorável estudo que foi divulgado pela mídia por toda parte, é pegar os camundongos geneticamente deficientes e criá-los num ambiente muito mais rico e estimulante que uma gaiola comum de laboratório, onde eles superam completamente essa deficiência. Portanto, quando alguém diz, num sentido atual  “ah, este comportamento é genético”, considerando que essa frase seja mesmo válida, quer dizer que existe uma contribuição genética de como este organismo reage ao ambiente;  os genes podem influenciar a prontidão com que cada organismo  lidará com dado desafio do ambiente. Não é esta a versão que a maioria das pessoas tem em mente  e não quero fazer um “discurso extravagante”, mas aceite a velha versão de “isto é genético” e não estará muito longe da história da eugenia e coisas do tipo. É um equívoco muito disseminado e potencialmente perigoso.

Dr. James Gilligan

Um motivo pelo qual a explicação biológica para a violência… Um motivo pelo qual essa hipótese é perigosa, não apenas equivocada, ela realmente pode ser prejudicial… é que se você acredita mesmo nisso, pode facilmente dizer: “Bem, não há nada que possamos fazer para mudar a predisposição que as pessoas têm em se tornar violentas. Tudo o que podemos fazer é puni-las, prendê-las ou executá-las. Mas não precisamos nos preocupar em mudar  o ambiente ou as condições sociais prévias  que podem tornar as pessoas violentas porque  isso é irrelevante.

Dr. Gabor Mate

A explicação genética nos dá o luxo de ignorar  o passado e o presente de fatores históricos e sociais e, como disse Louis Menand,  que escreveu na revista The New Yorker  de forma muito perspicaz:  “Está tudo nos genes’ é uma explicação para nossa condição atual  que não ameaça nossa condição atual. Por que alguém deveria se sentir triste ou praticar um comportamento antissocial  quando vive na nação mais livre e próspera da face da Terra?  Não pode ser o sistema.  Deve haver uma falha interna em algum lugar”.

O que é uma boa maneira de transmitir a ideia. Portanto, o argumento genético é só um pretexto  para ignorar os fatores sociais, econômicos e políticos que estão por trás de muitos comportamentos problemáticos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s